Licenciatura Intercultural- forma��o de professores ind�genas

smariapimentel smariapimentel at YAHOO.COM.BR
Sat Apr 29 16:46:42 UTC 2006


A pedido de algumas pessoas, repasso mais informações sobre o Curso 
de Licenciatura Intercultural criado na Universidade Federal de Goiás.
O Curso de Licenciatura será destinado aos povos indígenas que se 
situam na região Araguaia-Tocantins, compreendida entre os rios 
Araguaia e Tocantins e adjacências, território de concentração de 
povos Macro-Jê, mas também dos  Tapirapé e Ava-Canoeiro, Guajajara, 
povos Tupi. Fazem, portanto, parte do projeto os seguintes 
indígenas: Karajá, Xerente, Apinajé, Krahô, Javaé, Tapirapé, 
Guajajara e os timbiras do Maranhão. O curso tem como objetivo 
formar e habilitar professores indígenas em Licenciatura 
Intercultural, para lecionar nas Escolas do Ensino fundamental e 
Ensino Médio, com vistas a atender à demanda das comunidades 
indígenas no que toca à formação superior de seus professores, nas 
áreas de concentração de CIÊNCIAS da LINGUAGEM, CIÊNCIAS da NATUREZA 
e CIÊNCIAS da CULTURA.
Os eixos de sustentação do curso são a Diversidade e a 
Sustentabilidade, definidos com base na realidade das sociedades 
indígenas, no reconhecimento da diferença étnica, na situação em que 
cada comunidade vive e no seu relacionamento com outros povos. 
Levaram-se em conta tanto os contextos culturais, lingüísticos, 
políticos e econômicos quanto os relacionamentos cotidianos dessas 
sociedades com a não-indígena. Já os princípios pedagógicos são 
transdisciplinaridade e interculturalidade, entendidos aqui de forma 
dialógica, tanto no que se refere à relação entre as diferentes 
culturas quanto à interação entre as várias áreas do saber. Nesse 
sentido, as áreas de conhecimento das diferentes ciências estarão 
relacionadas umas com as outras, sem separar, por exemplo, 
matemática de geografia, língua de história, literatura de arte, ou 
seja, nessa concepção a transdisciplinaridade e a interculturalidade 
acontecerão normalmente. Tampouco estarão separados os conhecimentos 
produzidos pelos indígenas daqueles considerados universais, a 
pesquisa dos processos de ensino.   
O curso terá uma duração de cinco anos. Os primeiros serão de 
formação básica e os três últimos, de especialização na área 
escolhida pelo professor indígena. A carga horária é de 3600 horas, 
distribuída da seguinte forma:
a)	Estudos presenciais; 2100 horas ( na UFG)
b)	 Ensino a distância; 500 horas (em Terras Indígenas, sob a 
orientação de professores de UFG, UFT e UFMA). As universidades 
federais do Tocantins e Maranhão são parceiras da universidade 
federal de Goiás nesse projeto.
c)	Pesquisa e seminário de pesquisa; 200horas ( na UFG, UFT e 
UFMA).
d)	 Estágio Supervisionado; 400 horas (em Terras Indígenas)
e)	 Prática; 400 horas (em Terras Indígenas)
As aulas na UFG acontecerão entre os meses de janeiro, fevereiro, 
julho e agosto, quando serão trabalhados conteúdos indicados nos 
temas contextuais das matrizes e orientações sobre pesquisa e 
estudo. A parte mais específica dos temas contextuais poderá 
acontecer em terras indígenas com o propósito de possibilitar o 
diálogo com os especialistas indígenas e com os projetos desses 
povos. Serão realizadas atividades extracurriculares, oficinas 
pedagógicas, visando suprir as necessidades que não foram 
contempladas pelas matrizes teóricas: cursos de Língua Portuguesa e 
Estudos de Línguas maternas, informática, produção de material 
didático e etc. 
No final do curso o professor indígena apresentará um projeto 
alternativo de melhoria de vida para sua comunidade, dependendo da 
área em que ele se especializou. 
O vestibular acontecerá no mês de junho/2006. São 60 vagas para este 
ano. Em cada ano, outras vagas serão oferecidas, dependendo da 
demanda.
O projeto político pedagógico encontra-se na página da Faculdade de 
Letras/UFG (www.letras.ufg.br).


Profa. Dra. Maria do Socorro Pimentel da Silva
Faculdade de Letras/Museu Antropológico
Universidade Federal de Goiás










----------------------------------------------
Colóquios Lingüísticos do Museu Antropológico
Participe! Para maiores informações, visite
http://geocities.com/coloquioslinguisticos
----------------------------------------------

O uso dos recursos do grupo Etnolingüística baseia-se no reconhecimento e aceitação de suas diretrizes. Para conhecê-las, visite http://geocities.com/linguasindigenas/normas  
Links do Yahoo! Grupos

<*> Para visitar o site do seu grupo na web, acesse:
    http://br.groups.yahoo.com/group/etnolinguistica/

<*> Para sair deste grupo, envie um e-mail para:
    etnolinguistica-unsubscribe at yahoogrupos.com.br

<*> O uso que você faz do Yahoo! Grupos está sujeito aos:
    http://br.yahoo.com/info/utos.html

 



More information about the Etnolinguistica mailing list